quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

Ideias combativas #2

9 comentários:

  1. Misturar União Soviética e Alemanha Nazi soa bastante estranho. Nisto ou há ignorância ou há intenção. Ainda não vi o livro mas pelo título duvido muito do seu rigor.

    ResponderEliminar
  2. A Alemanha foi, e é, uma grande potência científica. O artigo Über den anschaulichen Inhalt der quantentheoretischen Kinematik und Mechanik, de Werner Heisenberg, é um marco fundamental na história da Física Moderna. Werner Heisenberg era alemão e trabalhou na Alemanha nazi. Mas a derrota da Alemanha, na Segunda Guerra Mundial, implicou a sua sujeição económica e cultural aos Estados Unidos da América, arrastando o resto da Europa Ocidental para a época de decadência moral e científica que estamos a atravessar.

    ResponderEliminar
  3. Acha que se Hitler tivesse ganho não se arrastaria "o resto da Europa Ocidental para a época de decadência moral e científica que estamos a atravessar"? Se calhar a opinião dos autores do livro é parecida.

    ResponderEliminar
  4. É provável que os autores pensem que pelo menos decadência moral não haveria.
    José Manuel Horta

    ResponderEliminar
  5. Foi na Europa Ocidental que nasceu a Ciência Moderna. Infelizmente, no século XX, os países europeus não encontraram melhor aplicação para o enorme conhecimento científico e tecnológico acumulado do que as guerras em que se destruíram uns aos outros. Como, entretanto, o grande poder económico mundial passou para o lado de lá do Atlântico, muitos cientistas europeus foram atrás, o que alavancou o enorme progresso científico verificado nos Estados Unidos da América. A aplicação do método científico pode ser livre em muitos países, mas, atualmente, o desenvolvimento científico exige investimentos financeiros de tal monta em meios instrumentais de investigação que só os mais ricos podem chegar à grande Ciência. A solução para a Europa seria a união entre todos, mas não é, conforme se vê no brexit! Em cada uma das pequenas democracias, não há massa crítica científica! Por outro lado, na pequena ditadura coreana do norte já se fazem bombas atómicas!

    ResponderEliminar
  6. "na pequena ditadura coreana do norte já se fazem bombas atómicas!" Como é que numa pequena ditadura já há massa crítica?
    José Manuel Horta

    ResponderEliminar
  7. Atualmente, fazer uma bomba atómica já não é considerado fazer cIência de ponta!
    O que está a dar é fazer supercordas! Na Coreia do norte há massa crítica porque eles não estão debaixo da pata da Estados Unidos, como acontece com a Europa. Faz algum sentido a França ser membro permanente do Conselho de Segurança das Nações Unidas e a Alemanha não! Em certas matérias, relacionadas diretamente com a aplicação prática da investigação científica, há mais liberdade na Coreia do Norte do que na Alemanha democrática, que tem de prestar contas a Washington !...

    ResponderEliminar
  8. Tudo muito tendencioso o que lá está escrito, os autores revelam desconhecimento e sobretudo falta de liberdade, precisamente aquilo que condenam,... e em particular verifica-se quando os autores escrevem sobre o "neurocirurgião americano"!!! que tratou o físico L. Landau, chega a ser confrangedor a falta de coragem em dizer "estadunidense", pois que os brasileiros e outros dos demais países do continente americano também são americanos não lhes podem roubar isso. É assim com os submissos.

    Nada escrevem sobre o presente. Muito gostariam os leitores de saber o que pensam os autores acerca do sr. Putin é ele ditador ou democrata?
    Sim, porque atualmente assiste-se a grandes desenvolvimentos técnicos e científicos na Rússia capitalista de hoje, que superam o ocidente, mas, isso implica que, e segundo a teoria lá defendida Putin não pode ser ditador. Mas dizer que o sr. Putin é um democrata é preciso liberdade, essa que falta, aos autores submissos ao sistema capitalista que os alimenta.

    O problema da Rússia com o ocidente mantem-se-á sempre, mesmo com a Rússia capitalista ou sem o ser, isto porque não subjuga as suas riquezas naturais (continentais) ao sistema capitalista, e isso impede-a de qualificar-se como um democracia no sentido que lhe atribui o ocidente, por isso ainda persiste a famosa "ameaça Russa"!

    Os autores poderiam ter feito uma abordagem moderna, atual, da Rússia, e aí poderiam confirmar as suas teorias, mas não tiveram coragem para isso, pois compreendem, consciente ou inconscientemente que isso não lhes é permitido. São vitimas do sistema capitalista, que lhes garante o bem estar material. Os próximos escritores, no futuro, terão maiores dificuldades em escrever para manter a linha orientadora defendida.

    I.D.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Corrigir: onde se lê ".. não subjuga as suas riquezas naturais (continentais) ao sistema capitalista" deve ler-se "sistema imperialista".

      I.D.

      Eliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.